sábado, 7 de setembro de 2013

Recuperação de filosofia(3ºBIM)
Nome da escola:_______________________________________________________________
Aluno(a)______________________________________________________________________
Nº______Série_3º_Turma________Data__/__/__
Questões:
1)      A liberdade é um dos temas mais comentados dentro das sociedades democráticas. Se pensarmos o Brasil, país democrático, que possui uma constituição, a qual apresenta vários direitos, como está no: “Artigo 5º, inciso XIII, que é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer”. Reflita se na prática todos podem escolher com liberdade garantida pela lei o exercício do trabalho.
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2 )  Explique o que Aristóteles entende por caráter voluntário ou involuntário das decisões?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
3)      Se Deus segundo Santo Agostinho possui  presciência das coisas, como podemos conciliar a presciência de Deus com o livre-arbítrio do ser humano proposto pelo filósofo?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
4)      Explique a diferença entre as duas correntes filosóficas: libertarismo e determinismo.
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
5)      Explique como você entende o texto de Thomas Hobbes a respeito da liberdade: “Portanto Deus, que vê e  dispõe  de todas as coisas, vê também que a liberdade que o homem tem de fazer o que quer é acompanhada pela vontade de Deus”.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Recuperação de filosofia(3ºBIM)
Nome da escola:_______________________________________________________________
Aluno(a)______________________________________________________________________
Nº______Série_2º_Turma________Data__/__/__
Questões:
  1)Como Simone de Beauvoir analisa a questão da humilhação ao idoso em nossa sociedade? Como você acredita que isso poderia mudar?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2)Explique o processo de duplicidade em relação ao idoso, no que diz respeito ao tratamento dispensado ao mesmo.
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
3)      Explique o texto: “Para oprimir e submeter, especialmente, os negros, o racismo no Brasil não necessitou de regras formais de discriminação, de desigualdade e de preconceito racial. O racismo como ideologia emprega e se alimenta de práticas sutis, de nuances e de representações que não precisam de um sistema rígido e formalizado de discriminação”.
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
4)      Em meio a Revolução Francesa foi proclamada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Qual foi a constatação de Olympe de Gouges?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
5)      Explique o ponto de vista de Simone de Beauvoir e Judith Butler, respectivamente, quando as mesmas escreveram:
a)      “A condição da mulher é uma escolha dos homens apoiada pela submissão das mulheres”
b)      “É a sociedade que define as identidades do homem e da mulher”

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Recuperação de filosofia(3ºBIM)

Nome da escola:_______________________________________________________________
Aluno(a)______________________________________________________________________
Nº______Série_1º_Turma________Data__/__/__

Questões:
1)     Explique o significado da palavra organicista na teoria política de Platão.
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2)   Faça uma analogia entre os três tipos de alma e os três tipos de classe social segundo Platão, no que se refere à organização social.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
3)    Explique a justa desigualdade promovida na teoria política de Platão, à qual se dá por meio de um processo educacional.
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
      4)Sócrates se utilizava de um método em seus ensinamentos filosóficos. Explique as duas fases do método.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
5)  Explique os termos aristotélicos: matéria e forma, ato e potência e acidente.
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

segunda-feira, 29 de julho de 2013

sábado, 27 de julho de 2013



A Visão política em Aristóteles I


A Visão política em Aristóteles II





A Natureza Humana e a Política em Aristóteles

Aristóteles analisa o Estado como uma finalidade a ser desenvolvida pelo ser humano. Faz uma análise da sociedade utilizando-se do método analítico, onde considera que o todo é sempre mais importante que a parte. O todo para Aristóteles quando analisa a sociedade civil é o Estado e as partes são a família, as pequenas comunidades e finalmente o indivíduo.
O filósofo acredita que todo ser tem uma potencialidade natural a ser desenvolvida, ou seja,  uma finalidade a ser alcançada_ e a existência de todo o ser só tem sentido no desenvolvimento dessa finalidade. Se analisarmos uma árvore ela tem sua finalidade natural, se observarmos a semente ela tem uma finalidade natural, a qual está na sua essência, nasce com ela, que é a de se transformar em árvore e assim por diante. Quando falamos do indivíduo segundo Aristóteles, falamos de um indivíduo que é considerado na sua essência, na sua natureza como um ser que deve desenvolver sua finalidade, a  qual é desenvolver a política, a sociedade, o Estado. Um dos pensamentos de Aristóteles que reflete bem essa ideia é encontrado no seu livro A Política: “O homem é um animal social e político”. Isso significa dizer que o homem tem por essência o desenvolvimento natural da sociedade, e não por convenção como muitos outros filósofos acreditam.
Em conformidade com Aristóteles a natureza humana tem por fim; ou seja, por objetivo desenvolver o Estado e quando o indivíduo não desenvolve sua natureza social destoa de sua essência, logo, segundo o filósofo:
[...] é evidente que o Estado é uma criação da natureza e que o homem é, por natureza, um animal político. E aquele que por natureza, e não por mero acidente, não tem cidade, nem Estado, ou é muito mau ou muito bom, ou sub-humano ou super-humano. [...] mas aquele que for incapaz de viver em sociedade, ou que não tiver necessidade disso por não ser autossuficiente, será uma besta ou um Deus, não uma parte do Estado. (ARISTÓTELES, Política, p. 146-147). 

A importância da Linguagem

O motivo pelo qual Aristóteles considera que o homem é um animal social por natureza é a linguagem, pois é a mesma que nos difere dos demais seres dentro da natureza: “a natureza como se afirma frequentemente não faz nada em vão, e o homem é o único animal que tem o dom da palavra”. (ARISTÓTELES, Política, p. 146). A linguagem é o que garante ao homem ter o senso do bem e da justiça, sendo os mesmos os princípios fundamentais do Estado.
Como para Aristóteles tudo tem uma finalidade, logo, o fim ou a finalidade do Estado é promover o bem e a justiça, de maneira a promover a felicidade de todos, é claro que devemos atentar que quando Aristóteles se refere ao termo felicidade, o mesmo não tem o mesmo significado que damos na atualidade, para o filósofo felicidade está relacionada às três funções de nossa alma, as quais devem estar em harmonia e equilíbrio, lembrando ainda que para o mesmo o bem e a justiça os quais geram felicidade devem primeiramente atender o todo que é o Estado para depois poder ser estendido a todos, pois o todo é sempre mais importante que a parte do ponto de vista do seu método analítico.

A herança Platônica

Explicando de forma diferente, mas não destoando totalmente de seu mestre Platão, Aristóteles também concebia a natureza humana com diferenças nas habilidades, as quais deveriam ser desenvolvidas dentro da sociedade. Essas diferenças segundo o mesmo difere um chefe de Estado de um escravo, observe:
Por isso, aquele que pode antever, pela inteligência, as coisas, é senhor e mestre por natureza; e a aquele que com força do corpo é capaz de executá-las é por natureza escravo. Portanto, entre senhor e escravo existem interesses em comum. (ARISTÓTELES, Política, p. 144).
Percebam que da mesma forma que Platão, Aristóteles concebe importância na relação de concordância entre os membros do Estado, ou seja, cada qual no desenvolvimento de sua função desenvolve uma finalidade maior que é o bem do todo, que é o Estado. No entanto cada indivíduo tem com o outro uma relação de interdependência.

O método analítico

Aristóteles inicia suas meditações políticas a partir da analise das partes que compõem o Estado, ou seja, as pequenas comunidades, a família, o indivíduo etc. Logo se não nos atentarmos temos a falsa consciência de que o mesmo se utiliza do método indutivo, porém quando nos atentamos a leitura. Podemos perceber que o método utilizado por Aristóteles é dedutivo (analítico), pois deixa bem claro que a finalidade de todo indivíduo e dos pequenos grupos sociais é o Estado, logo todas as partes funcionam objetivando um fim, o qual está presente por natureza em todos os indivíduos, que funcionam em prol do todo.

A Justificativa da escravidão

Em concordância co Aristóteles os homens diferem em nível racional e força física, portanto, uns devem ser utilizados para o trabalho e escravo sob a direção de outros mais inteligentes, mais desenvolvidos racionalmente, e logo, os mais desenvolvidos racionalmente devem estar no comando dos que são mais providos de força física e de pouca inteligência. Os que comandam têm por natureza o comando, os que servem têm por natureza a subserviência, logo, para Aristóteles é justa a posição que cada um tem dentro do Estado, observe:
A natureza distinguiu os corpos dos escravos e do senhor, fazendo o primeiro forte para o trabalho servil e o segundo esguio e, se bem que inútil para o trabalho físico, útil para a vida política e para as artes, quanto na guerra, quanto na paz. Contudo o contrário muitas vezes acontece_ isto é, que muitos tenham a alma e outros tenham o corpo dos homens livres. E sem dúvida, se os homens diferem uns dos outros na mera forma de seus corpos, tanto quanto as estátuas dos deuses diferem dos homens, tudo indica que as classes inferiores devem ser escravas das superiores. (ARISTÓTELES, Política, p.151).
Porém Aristóteles defende a escravidão por natureza e não por convenção. A escravidão por convenção pode se dar segundo o filósofo numa situação de guerra, onde o vencedor munido da força física escraviza o perdedor. Esse tipo de escravidão é contrário à visão aristotélica, pois vai contra a natureza do ser, e toda condição humana segundo Aristóteles deve ser justificada pela sua natureza, observe:
[...], além disso, ninguém poderia usar a palavra escravo apropriadamente para quem fosse indigno de sê-lo. Senão encontraríamos, entre os escravos e seus descendentes, até mesmo homens de berço nobre, caso um deles fosse capturado e vencido. (ARISTÓTELES, Política, p. 152).

Referência Bibliográfica.

ARISTÓTELES, Os Pensadores, ed: nova cultural,são Paulo 1999.